ESTRATÉGIA: ACORDOS, DESACORDOS E REVISÕES SOBRE O TEMA

Anthero de Moraes Meirelles, Carlos Alberto Gonçalves

Resumo


Amplamente utilizado nas teorias organizacionais e gerenciais contemporâneas, e no universo discursivo da consultoria empresarial, o termo estratégia se tornou alvo de atenção e de significados, definições e modelos diversos. Autores celebram esta diversidade, ou pelo menos a
consideram inevitável, em função da riqueza semântica do vocábulo e da natureza intrinsecamente complexa e mutável daquilo que se acostumou tratar como estratégia no contexto das organizações (MINTZBERG; LAMPEL; AHLSTRAND, 2000; SMIRCICH; STUBBART, 1985; SNOW; HREBINIAK, 1980). Outros defendem alguma disciplina no campo, sobretudo, para facilitar o acúmulo de conhecimento, por meio da utilização sistemática de um conjunto de conceitos – e alternativas para sua operacionalização – razoavelmente aceito (VENKATRAMAN;
GRANT, 1986). Este artigo teve por objetivo revisitar o conceito de estratégia e seu uso corrente na administração, desde o seu uso específico, tais como em gestão estratégica de pessoas, estratégia de comunicação, ou sua aplicação geral, como no posicionamento organizacional, que é a alma, a personalidade, a razão de ser da empresa.


Palavras-chave


Palavras-chave: estratégia; revisões sobre estratégia; dimensões paradigmáticas da estratégia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13058/raep.2010.v11n4.131

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




Direitos autorais 2010 Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ANGRAD)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Administração: Ensino e Pesquisa (RAEP). ISSN (Eletrônico): 2358-0917 | ISSN (Impresso): 2177-6083 (publicação impressa encerrada em 2017). A RAEP é uma publicação da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ANGRAD).

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia