Sobre a Revista

Foco e Escopo

Além de divulgar textos em forma de artigos e ensaios teóricos, a RAEP também considera a publicação de sínteses de tese e dissertação, casos para ensino, descrição de métodos e práticas inovadoras de ensino e aprendizagem e resenha crítica de livros da área de Administração.

A RAEP se posiciona como uma revista acadêmica de impacto nacional e que também trabalha no sentido de estabelecer um diálogo internacional. Nesse sentido, autores brasileiros e estrangeiros são bem-vindos!

Por essa razão, os artigos devem possuir algum grau de originalidade em relação aos estudos anteriores, apresentar avanços de caráter empírico (contribuam para a prática docente ou de gestão acadêmica e de atuação em pesquisa) e/ou de ordem teórica (pesquisas que colaborem com o avanço do estado da arte no processo de ensino e aprendizagem ou da pesquisa em Administração). Finalmente, os aspectos metodológicos devem ser claros e consistentes.

Ao longo dos anos, foram estabelecidos os principais temas que são o foco da RAEP:

  1. Epistemologia – Questões epistemológicas na Administração. Questões epistemológicas típicas da produção e difusão científica em Administração. Contribuições epistemológicas para o ensino e a pesquisa em Administração. Interfaces de outras ciências, a exemplo da Antropologia, Educação, História, Psicologia Sociologia, com a Administração. Questões paradigmáticas no campo científico da Administração.
  2. Abordagens, Métodos e Técnicas de Pesquisa – Questões relativas às abordagens quantitativa e qualitativa. Questões relacionadas aos métodos de pesquisa quantitativo e qualitativo. Questões acerca de técnicas de coleta, organização e análise do material empírico. Proposição métodos e técnica de pesquisa. Uso e limitações dos métodos móveis. Influência da utilização de abordagens, métodos e técnicas nos resultados da pesquisa na área. Teoria e métodos na construção de escalas. Teoria e métodos na construção de categorias de análise.
  3. Conduta Ética e Responsável no Ensino e na Pesquisa – Ética no processo de investigação que envolve revisão bibliográfica, coleta de dados qualitativos e quantitativos, análise e interpretação de dados quantitativos e qualitativos. Ética no processo que envolve ensino e aprendizagem na graduação e na pós-graduação, ou seja, planejamento, processo de ensino e aprendizagem, relação professor-estudante, feedback e avaliação da aprendizagem. Fraude acadêmica na pesquisa, no ensino e aprendizagem. Conduta ética na relação entre pesquisadores, grupos de pesquisa, setores produtivos e sociais. Autoria e coautoria. Teoria ética no universo do ensino e da pesquisa acadêmica e tecnológica. Regulação ética da pesquisa por meio de conselhos científicos e tecnológicos, códigos de ética, comitês de ética. Regulação ética do ensino em Administração.
  4. Formação do Professor e do Pesquisador – Definição de professor e estudante. Fundamentos teóricos da formação docente em Administração. Percursos formativos do professor e do pesquisador na pós-graduação stricto sensu. A relação entre ensino e pesquisa na formação de professores. Desenvolvimento de competências do professor e do pesquisador. Processo de orientação acadêmica. Estágio docência. Monitoria pedagógica. Auxiliar de pesquisa. A formação do avaliador de trabalhos acadêmico-científicos.
  5. Formação Acadêmica e Aprendizagem – Teorias contemporâneas da aprendizagem. As responsabilidades de professores e estudantes no processo que envolve ensino e aprendizagem. Estilos de Aprendizagem. Ensino e aprendizagem significativa. Aprendizagem e desenvolvimento de competências na formação acadêmica. Pensamento reflexivo e formação acadêmica em Administração.
  6. Ação Docente e Ambiente de Aprendizagem – Implicações pedagógicas nos processos que envolvem ensino-aprendizagem. Estratégias de ensino e aprendizagem subordinadas às metodologias ativas. Estratégias de ensino orientadas para a aprendizagem – aprendizagem por projeto, aprendizagem baseada em problema, ensino com pesquisa, estudo de caso, entre outras. Relacionamento professor-estudante no processo de ensino e aprendizagem. Feedback e avaliação no processo de aprendizagem. Ambientes físicos e virtuais de aprendizagem. Uso pedagógico das salas invertidas. Tecnologias digitais aplicadas à pesquisa, ao ensino e à aprendizagem em Administração.
  7. Contexto Institucional do Ensino e da Pesquisa: Veículos de comunicação da produção docente e da pesquisa. Redes de cooperação entre docentes, pesquisadores, grupos e instituições. Internacionalização do ensino e da produção científica e tecnológica em Administração. Formação e constituição dos campos institucionais de pesquisa. 
  8. Materiais de Suporte ao Ensino e à Aprendizagem – Reflexão (e uso) sobre estratégias de ensino orientadas pela e para a aprendizagem. Metodologia de elaboração de casos para o ensino. Metodologia de desenvolvimento de games pedagógicos. Processo de produção de novos casos para o ensino, jogos e objetos de aprendizagem. Critérios de avaliação da qualidade de casos para o ensino, jogos, objetos de aprendizagem. Aplicações dos casos para o ensino, jogos e objetos de aprendizagem em ambientes presenciais e virtuais de aprendizagem.
  9. Planejamento Sistêmico, Organização e Avaliação de Cursos e Programas – Gestão acadêmica de instituições, programas e cursos de educação superior. Projetos pedagógicos. Perfil de egresso. Arquitetura curricular. Atividades de interesse curricular e atividades de integração interdisciplinar. Autoavaliação e avaliação do professor. Autoavaliação e avaliação institucional. Sistema de avaliação da graduação e da pós-graduação 

Processo de Avaliação pelos Pares

A revista Administração: Ensino e Pesquisa adota processo de double-blind review na avaliação dos trabalhos inscritos. Por esta razão, ao submeter um texto ao periódico, o(s) autor(es) não poderá(ão) identificar seu(s) respectivo(s) nome(s) no corpo do texto. Caso isso ocorra, o trabalho será automaticamente desconsiderado. Os dados relativos à autoria do trabalho devem ser registrados na página de submissão do texto.

Os textos submetidos à avaliação devem ser originais e inéditos, tanto em âmbito nacional, quanto internacional. Eles devem adotar o estilo acadêmico, tanto em termos de estrutura, quanto no que se refere à linguagem utilizada e ao conteúdo dos argumentos. Sublinha-se que os textos submetidos à Administração: Ensino e Pesquisa não poderão estar em processo de avaliação em outros veículos de divulgação acadêmica, sejam eles nacionais ou internacionais ou ser fruto do reaproveitamento de artigos publicados em outros periódicos.

Os trabalhos poderão ser submetidos em portuguêsinglês, espanhol e francês.

PROCESSO DE AVALIAÇÃO

Os trabalhos enviados para publicação na Administração: Ensino e Pesquisa são submetidos a um processo de avaliação, objetivando divulgar as melhores contribuições recebidas e avaliadas até o momento da finalização da edição.

O processo de avaliação do trabalho se inicia com uma avaliação do Editor. Nesta oportunidade, será avaliada a adequação do trabalho à política editorial da Revista. O Editor encaminhará os artigos para dois avaliadores, respeitando o double blind review. Nessa ocasião, os avaliadores recebem os critérios que devem ser considerados na avaliação do texto. A Administração: Ensino e Pesquisa conta com um corpo de avaliadores de aproximadamente trezentos acadêmicos. Este grupo é renovado à medida da necessidade e sempre com o intuito de reforçar elevado padrão editorial.

Os avaliadores são orientados a contribuir para o aperfeiçoamento do conteúdo do material avaliado. Portanto, após a avaliação inicial, o compuscrito pode ser “aprovado”, “aprovado mediante ajustes dos autores” ou “dispensado de uma segunda avaliação por parte dos pareceristas”. As contribuições são enviadas para o autor realizar os ajustes sugeridos. Concluídos os ajustes, o autor enviará o trabalho para o Editor, este, por sua vez, encaminhará a segunda versão do texto para os avaliadores realizarem mais uma leitura e avaliação, recomendando ou não o texto para a publicação.

Na existência de discrepância entre os dois avaliadores, o Editor enviará o texto para um terceiro avaliador e fará uma avaliação com base nos três pareceres recebidos, com o objetivo de decidir pela continuidade do artigo no processo de avaliação mediante ajustes dos autores ou por sua eliminação. Após o texto ser recomendado para publicação, a RAEP providencia a revisão ortográfica e estilística profissional antes de o artigo ser publicado.

O Editor rejeitará os trabalhos que não apresentarem condições mínimas ou que não estejam alinhados com a política editorial da revista, sem a necessidade de encaminhar parecer ao autor. Acredita-se que este procedimento contribui com o(s) autor(es) que tiver(em) interesse em submeter o texto a outro periódico acadêmico.

Os critérios considerados no processo de avaliação estão listados a seguir e são aplicados com base na natureza e no tipo do compuscrito. Recomendamos fortemente aos autores que verifiquem se o material a ser submetido atende ao escopo e aos critérios considerados pela RAEP e também às Diretrizes para Autores antes de realizar a submissão.

Adicionalmente, recomendamos aos avaliadores que observem as orientações relacionadas ao processo de avaliação disponível em nosso Manual para Avaliadores.

Depois de concluído o processo de avaliação, quando o resultado for favorável à publicação, será solicitado aos autores que providenciem a revisão de português do compuscrito (incluindo tabelas, quadros e figuras), das referências de acordo com as diretrizes da ABNT e também uma versão traduzida do material para o inglês com o objetivo de difusão da publicação internacionalmente.

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

ARTIGOS

1. Originalidade do trabalho

Tendo em vista as pesquisas nacionais e internacionais sobre o tema, a pesquisa é original com relação ao tratamento da temática? O recorte empírico foi pouco explorado em pesquisas anteriores? Apresenta uma problemática ou temática inexplorada? A pesquisa inovou em aspectos metodológicos? As análises e resultados são distintos dos já apresentados anteriormente?

2. Contribuição empírica e/ou teórica

O artigo apresenta contribuições de ordem prática/empírica no processo de ensino e aprendizagem, gestão acadêmica ou formas de se fazer pesquisa na área de Administração? O trabalho apresenta contribuições teóricas, ou seja, para além do estado da arte sobre determinada temática?

3. Percurso metodológico claro e consistente

O passo a passo da pesquisa foi apresentado de tal forma que se possa reproduzir uma investigação semelhante por outros pesquisadores? Os instrumentos e as técnicas de pesquisa – quantitativas ou qualitativas – são adequados e compatíveis ao problema de pesquisa?

4. Diálogo entre o Referencial Teórico e a Descrição, Interpretação e Análise

A coleta de dados (qualitativos e/ou quantitativos) foi adequada? Os dados são suficientes? Os dados foram tratados, descritos, interpretados e analisados a luz do referencial teórico escolhido? Existe o entrelaçamento entre o referencial teórico, a descrição, interpretação e análise? Há coerência e profundidade entre a revisão teórica e a descrição, interpretação e análise?

5. Título, resumo, palavras-chave, introdução e conclusão

Há coerência entre o título (e subtítulo) e o conteúdo do texto? O resumo apresenta a temática da pesquisa, as técnicas e métodos de pesquisas utilizados e os principais resultados? As palavras-chave refletem os termos chave da discussão? A introdução apresenta o contexto, a problemática teórica/empírica, a(s) questões de pesquisa, objetivos e justificativa? A conclusão retoma a questão de pesquisa e os objetivos, apresenta uma síntese dos resultados, as limitações e a agenda de pesquisa futura?

6. Aspectos relativos à forma

O texto observa as orientações indicados nas Diretrizes para Autores? O texto respeita as orientações relativas ao formato? Respeita as exigências da escrita acadêmica? Respeita as normas da ABNT no que se refere às citações (NBR10520:2002) e referências (NBR6023:2002) dos materiais bibliográficos e documentais explorados?

CASOS DE ENSINO

Em termos de conteúdo, sugerimos aos autores considerar os seguintes aspectos:

  • Conta uma história e é rico em informações sobre o Contexto e Participantes;
  • É recente e aborda uma questão que tende a ser relevante por alguns anos;
  • Focaliza uma questão de crescente interesse envolvendo temáticas relacionadas a Administração;
  • Requer soluções Administrativas;
  • Possui potencial para Ensinar a Prática Administrativa e de Gestão;
  • Propicia aos alunos a avaliação de diferentes cenários por meio de decisões anteriores.

Em termos de formato, deve-se considerar os seguinte aspectos:

  • Adoção de uma Estrutura que Apresenta Desafio(s) Administrativos e Tomada de Decisão;
  • Documentos e Anexos que sustentam a resolução do Caso;
  • Notas de Ensino com os itens sugeridos nas Políticas de Seção de Casos de Ensino.
RESENHAS
  • Em que medida, o livro/obra contribui para o avanço do conhecimento em ensino e aprendizagem em Administração ou colabora para o avanço das práticas de pesquisa?
  • Qual é a qualidade da síntese apresentada?
  • A utilidade e relevância do livro/obra foi suficientemente trabalhada?
  • As conclusões e perspectivas foram elaboradas com qualidade e os questões indicadas anteriormente foram apresentados?

Periodicidade

A revista Administração: Ensino e Pesquisa é publicada em frequência quadrimestral (1º de Janeiro / 1º de Maio / 1º de Setembro).

Política de Acesso Livre

A versão online da revista Administração: Ensino e Pesquisa (RAEP) fica disponível em acesso aberto para consulta e uso por parte da comunidade acadêmica nacional e internacional. Desta forma, os responsáveis pelo periódico oferecem acesso livre e imediato ao conteúdo de cada edição, acreditando que disponibilizar gratuitamente a produção técnica e acadêmica ao público mais extenso representa colaborar para a democratização do acesso ao conhecimento.

A revista não cobra os autores pela submissão e nem pela publicação dos artigos aprovados.

Código de Ética

Código de Ética

O código tem por base o Manual de Boas Práticas da ANPAD (ANPAD, 2010), o Código de Conduta e diretrizes para a melhor prática para Editores de Periódicos Científicos do Committee on Publication Ethics (COPE, 2011), bem como práticas consolidadas de editoria científica da área de Administração.

1. Questões relativas à Publicação e Autoria

Lista de referências e financiamento

Os autores devem listar e citar apropriadamente, de acordo com as instruções fornecidas em página específica, os trabalhos que serviram de base para o desenvolvimento da pesquisa. Além disso, devem fornecer informações, quando for o caso, sobre as fontes de financiamento da pesquisa, em agradecimento ao final do artigo ou em nota de rodapé no início.

Plágio e dados fraudulentos

Os autores devem declarar que os artigos são de sua própria autoria e que o material de terceiros eventualmente usado é referenciado e empregado de modo legítimo. Não será admitido plágio, falsificação ou fabricação de dados. Os editores podem realizar uma verificação de plágio dos artigos antes do envio aos avaliadores ad-hoc e os autores serão contatados caso seja identificada alguma inconsistência.

Publicação da mesma pesquisa em mais de um periódico

Os autores devem declarar que os artigos submetidos para avaliação e seu conteúdo essencial são inéditos e não estão em processo de avaliação por outra publicação. Caso o artigo tenha sido publicado em algum evento científico, os autores deverão informar aos editores no campo apropriado no sistema quando da submissão do artigo.

2. Responsabilidades dos Autores

Autenticidade dos dados / informações do artigo

Os autores devem assegurar que todos os dados apresentados no artigo são reais e autênticos. Caso os editores e/ou avaliadores ad-hoc identifiquem inconsistências os autores serão contatados para esclarecimentos.

Contribuição dos autores

Os autores incluídos no artigo devem ter contribuído significativamente para a elaboração do trabalho. Após aceitação do artigo, será permitida a mudança de ordenação dos autores. No entanto, não será admitida a inclusão de novos autores após a aceitação do artigo.

Todos os autores devem fornecer, quando necessário, correções ou retratações de erros cometidos.

Os autores devem assegurar que a pesquisa, quando for o caso, tenha passado pela aprovação do órgão pertinente (e.g., Comissão de Ética em Pesquisa). (ANPAD, 2010).

Os autores podem ser convidados para serem avaliadores no processo de revisão por pares do periódico.

Caso os autores sejam bem-sucedidos na publicação de um artigo na RAEP, podem ser chamados para avaliar um artigo para a revista (ANPAD, 2010). Caso os autores sejam acionados para atuar neste papel, devem fazê-lo com dedicação, presteza e seriedade científica, contribuindo para a melhoria do artigo.

3. Quanto ao processo de Revisão por pares e das Responsabilidades dos Revisores

Quanto aos Avaliadores e suas Responsabilidades

  • Os avaliadores devem recusar-se a fazer avaliações para as quais não se sintam qualificados. Apenas concordar em avaliar manuscritos caso:
    • possuam o conhecimento da matéria para realizar uma revisão adequada
    • possam avaliar em tempo hábil
      • Cumprir a data de devolução assim acordada é uma questão de ética, respeito e responsabilidade da função de revisor (ANPAD, 2010)”.
      • Os avaliadores não devem ter conflito de interesse com a pesquisa, os autores e / ou os financiadores da pesquisa que está sendo avaliada.
      • Os avaliadores devem declarar potenciais conflitos de interesse (pessoais, financeiros, intelectuais, profissionais, políticos ou religiosos) para que a equipe editorial da RAEP possa alinhar melhor as avaliações.
      • Sendo o processo de avaliação duplo cego, os avaliadores devem informar o editor caso a identidade do autor lhes seja conhecida.
      • Os avaliadores não devem usar ou se apropriar indevidamente dos conhecimentos adquiridos durante o processo de avaliação dos artigos.
      • Os artigos avaliados devem ser tratados de forma confidencial. Os revisores devem respeitar a confidencialidade da revisão por pares e não revelar quaisquer detalhes de um manuscrito ou de sua revisão, durante ou após o processo de avaliação (COPE, 2011).

Quanto às avaliações

  • Devem ser objetivas e construtivas, abstendo-se de hostilidades e evitando fazer comentários pessoais difamatórios ou depreciativos (COPE, 2011).
  • O avaliador deve assinalar as falhas que podem ser corrigidas indicando o que deve ser feito para tanto. “O revisor deve, sempre, avaliar o custo-benefício de cada mudança solicitada em termos da efetiva melhoria na qualidade do manuscrito” (ANPAD, 2010).
  • Os avaliadores devem sugerir referências de trabalhos relevantes que não foram citados, sempre que cientificamente pertinente para o artigo e/ou sua reformulação.
  • Os avaliadores devem buscar indicar todas as alterações passíveis na primeira revisão do artigo, evitando novas recomendações quando do retorno do artigo reformulado.

4. Responsabilidades Editoriais

Os editores da RAEP se comprometem a, sempre que possível (Baseado em COPE, 2011):

  • atender às necessidades dos leitores e autores;
  • melhorar constantemente o periódico;
  • garantir a qualidade do material publicado;
  • defender a liberdade de expressão;
  • manter a integridade do registro acadêmico;
  • impedir que necessidades empresariais, governamentais ou da sociedade civil comprometam os padrões intelectuais;
  • publicar correções, esclarecimentos, retratações e desculpas quando necessário.

Os editores se empenharão para manter a qualidade e a relevância da publicação, o que inclui assegurar que a avaliação dos artigos submetidos seja objetiva, justa e realizada de acordo com as normas e os padrões da pesquisa científica da área de Administração. Os editores, através da seleção de avaliadores, procurarão promover uma avaliação competente e imparcial dos artigos.

Os editores buscarão revisores que não sejam pertencentes à mesma instituição dos autores do artigo e nem sejam coautores habituais destes. Também buscarão encaminhar as submissões a revisores com qualificação compatível com o trabalho a ser avaliado (ANPAD, 2010).

Os editores da RAEP têm total responsabilidade e autoridade para rejeitar / aceitar um artigo

A decisão final de aceitação ou rejeição dos artigos é dos editores, considerando a qualidade, a originalidade, a relevância e a aderência deles à linha editorial da revista.

Esta decisão pode, eventualmente, contrariar as recomendações apontadas pelos avaliadores, desde que devidamente justificada. “O editor não é refém dos pareceres e opiniões que lhe chegam, mas, caso tenha de contrariá-los, deve agir com ética e discernimento muito claro” (ANPAD, 2010).

O editor não deve ter conflito de interesse com relação aos artigos que rejeita / aceita.

Caso identifique algum conflito de interesse, o editor passará a responsabilidade de decisão para um dos membros do comitê editorial, desde que este também não tenha conflito de interesse.

Os editores só devem aceitar um artigo quanto estiverem razoavelmente certos desta decisão.

Os editores devem publicar correções quando encontrarem algum erro na publicação.

Os editores devem preservar o anonimato dos avaliadores

Deve ser assegurado por todos os envolvidos no processo de avaliação o tratamento confidencial dos manuscritos submetidos.

Os editores não devem usar ou se apropriar indevidamente dos conhecimentos adquiridos durante o processo de avaliação dos artigos.

5. Questões de Ética na Publicação

Monitoramento / salvaguarda da ética da publicação pelo Conselho Editorial

O Conselho Editorial da RAEP é responsável por monitorar o cumprimento do presente código de ética. Além disso, deve estar atento a mudanças nos padrões de editoria científica da área de Administração.

Diretrizes para retratação de artigos (Baseado em COPE, 2011)

Os editores da podem considerar efetuar a retratação de um artigo se:

  • houver claras evidências de que os resultados não são confiáveis, seja por resultado de má conduta (e.g., fabricação de dados) ou por um erro honesto (e.g., erro de cálculo ou erro experimental);
  • as conclusões foram publicadas anteriormente em outro lugar sem referência adequada, permissão ou justificativa (i.e., casos de publicação redundante);
  • constituir plágio;
  • relatar pesquisa antiética.

Os avisos de retração deverão mencionar os motivos e as bases para a retração (para distinguir os casos de má conduta daqueles de erro honesto) e também devem especificar quem está retratando o artigo. Eles deverão ser publicados em todas as versões da revista (impressa e eletrônica) e deverão incluir o titulo do artigo e seus respectivos autores.

Manutenção da integridade do registro acadêmico (Baseado em COPE, 2011)

Ao reconhecer a publicação de alguma declaração enganosa ou relato distorcido, deve-se corrigi-lo prontamente e dar-lhe o devido destaque na revista. Se após uma investigação apropriada, prova-se que um item é fraudulento, este deve ser retratado. A retratação deve estar claramente identificável para leitores e sistemas de indexação.

Referências

ANPAD. Manual ANPAD de Boas Práticas da Publicação Científica. Rio de Janeiro: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, 2010. disponível em http://www.anpad.org.br/diversos/boas_praticas.pdf

COPE. Code of Conduct and Best Practice Guidelines for Journal Editors. COPE Committee on Publication Ethics, 2011. disponível em http://publicationethics.org/files/Code_of_conduct_for_journal_editors_1.pdf

Estatísticas do Processo Editorial

Estatísticas do processo editorial - janeiro a dezembro de 2019

Atualizado em 20 de janeiro de 2020

Descrição Total %
Fora do escopo da revista 212 75%
Dispensados após peer review 46 16%
Em processo de avaliação 16 6%
Publicados 10 4%
Total de submissões 284  

Tempo médio do desk review: 2 a 4 semanas

Tempo médio do peer review: 3 a 4 meses

Tempo médio entre submissão e publicação: 6 a 12 meses. Observação: No caso de artigos aprovados em processos de avaliação regulares, serão publicados nas edições subsequentes após eventuais edições especiais.

Taxa média de aceitação: 5%

Avaliadores Ad-Hoc 2019

Titulação Avaliador IES ES
Profa. Dra. Adriana Cristina Ferreira Caldana USP-RP SP
Profa. Dra. Adriane Vieira UFMG MG
Prof. Dr. Alcides Barrichello UPM SP
Prof. Dr. Alessandro Prudêncio Lukosevicius UniGranRio RJ
Prof. Dr. Almir Martins Vieira UMESP SP
Profa. Dra. Ana Carolina Peixoto Medeiros IFPE PE
Profa. Dra. Ana Lúcia de Araújo Lima Coelho UFPB PB
Profa. Dra. Ana Paula Kieling UNIVALI SC
Profa. Ms. Ananda Silva Singh UFPR PR
Prof. Dr. André Andrade Longaray UFRGS RS
Prof. Dr. André Gustavo Carvalho Machado UFPB PB
Prof. Dr. André Luiz Fischer USP SP
Prof. Dr. Anielson Barbosa da Silva UFPB PB
Profa. Dra. Aracéli Cristina de S. Ferreira UFRJ RJ
Profa. Dra. Arilda Schmidt Godoy N/A SP
Prof. Dr. Aurio Lucio Leocadio da Silva UFC CE
Prof. Dr. Benjamin Rosenthal FGV/EAESP SP
Prof. Dr. Carlos Eduardo Franco Azevedo IMM / ECEME RJ
Prof. Dr. Carlos Heitor Campani UFRJ RJ
Prof. Ms. Carlos Jonathan dos Santos UPM SP
Prof. Dr. Carlos Nabil Ghobril IEA SP
Prof. Dr. Carlos Osmar Bertero FGV/EAESP SP
Profa. Dra. Carolina Andion UESC SC
Profa. Dra. Carolina M. Saraiva de Albuquerque Maranhão UFOP MG
Profa. Ms. Cassiane Chais UCS RS
Profa. Dra. Catarina Cecília Odelius UnB DF
Prof. Dr. César Augusto Tureta de Morais UFES ES
Profa. Dra. Cibele Barsalini Martins UFSC SC
Profa. Dra. Cintia Rodrigues de Oliveira Medeiros UFU MG
Profa. Dra. Cláudia de Salles Stadtlober Unisinos SC
Profa. Dra. Claudia Viviane Viegas UFSC SC
Prof. Dr. Claudio Antonio Tordino PUC SP
Profa. Dra. Cléria Donizete da Silva Lourenço UFLA MG
Profa. Dra. Clerilei Aparecida Bier UDESC SC
Prof. Dr. Cleverson Renan da Cunha UFPR PR
Prof. Dr. Cristiano Henrique Antonelli da Veiga UFU MG
Profa. Dra. Daielly Melina Nassif Mantovani USP SP
Prof. Dr. DANIEL ARRUDA CORONEL UFSM RS
Profa. Dra. Daniela Meirelles Andrade UFLA MG
Profa. Ms. Daniela Viegas da Costa Nascimento PUC MG
Prof. Dr. Denis Donaire USCS SP
Prof. Dr. Derly Jardim do Amaral UPM SP
Profa. Dra. Dinara Leslye Macedo e Silva Calazans UFRN RN
Prof. Dr. Diógenes de Souza Bido UPM SP
Prof. Dr. Edenis Cesar de Oliveira UFSCAR SP
Prof. Dr. Edson Sadao Iizuka FEI SP
Prof. Dr. Eduardo Ribeiro Rodrigues IFSP SP
Profa. Dra. Edvalda Araujo Leal UFU MG
Prof. Dr. Edvan Cruz Aguiar UFCG PB
Prof. Dr. Elcio Gustavo Benini UFMS MS
Profa. Dra. Elisabete Adami Pereira dos Santos PUC SP
Profa. Ms. Elizandra Severgnini UFPR PR
Prof. Dr. Eric David Cohen UNICAMP SP
Profa. Dra. Ester Eliane Jeunon FPL MG
Prof. Dr. Fábio Luís Falchi de Magalhães UNIFESP SP
Profa. Dra. Fernanda Roda de Souza Araujo Cassunde UNIVASF PE
Prof. Dr. Francisco Baccarin UNIMEP SP
Prof. Ms. Glauco Ricardo Simões Gomes UFMG MG
Prof. Dr. Guilherme Mirage Umeda ESPM SP
Prof. Dr. Guilherme Muniz Pereira Chaves Urias SEE MG
Prof. Dr. Henrique Geraldo Rodrigues UFU MG
Profa. Dra. Irene Kazumi Miura USP-RP SP
Profa. Dra. Isabel Cristina dos Santos USCS SP
Prof. Ms. Ives Romero Tavares do Nascimento UFCA CE
Prof. Dr. Jacques Demajorovic FEI SP
Prof. Dr. Jairo Alano de Bittencourt UCB DF
Profa. Ms. Jammilly Mikaela Fagundes Brandão UFPB PB
Prof. Dr. Janduhy Camilo Passos UFU MG
Profa. Dra. Janette Brunstein UPM SP
Prof. Dr. João Felipe Rammelt Sauerbronn UniGranRio RJ
Prof. Dr. Joni de Almeida Amorim UNICAMP SP
Prof. Dr. José Carlos Barbieri FGV/EAESP SP
Prof. Dr. Jose Carlos Lazaro UFC CE
Prof. Dr. José da Cunha Tavares SENAC SP
Prof. Dr. José Dutra de Oliveira Neto USP-RP SP
Prof. Dr. José Fernando Patino Torres UFT TO
Prof. Dr. José Osvaldo De Sordi FACCAMP SP
Profa. Dra. Josiane Silva de Oliveira UEM PR
Prof. Dr. Josué Alexandre Sander ISAE PR
Profa. Dra. Jucélia Appio UNIOESTE PR
Profa. Ms. Juliana Matte UCS RS
Profa. Dra. Júnia Fátima do Carmo Guerra UEMG MG
Profa. Ms. Jussara da Silva Teixeira Cucato ESPM SP
Profa. Dra. Karina De Dea Roglio UFPR PR
Profa. Ms. Kelly Fabiane Spier UFRGS RS
Prof. Ms. Laerson Morais Silva Lopes UFBA BA
Prof. Dr. Leonardo Ensslin UNISUL SC
Prof. Dr. Leonel Gois Lima Oliveira UniChristus CE
Profa. Dra. Lilian Aparecida Pasquini Miguel UPM SP
Profa. Dra. Lisiane Quadrado Closs UFRGS RS
Profa. Ms. Luciana Aparecida Silva de Azeredo CEFET MG
Profa. Dra. Luciana Pucci Santos UFRRJ RJ
Prof. Dr. Luciano Munck UEL PR
Prof. Dr. Luis Carlos Zucatto UFMS MS
Prof. Dr. Luiz Ojima Sakuda FEI SP
Prof. Dr. Marcelo Henrique de Araujo USP SP
Prof. Dr. Marcelo Trevisan UFSM RS
Profa. Dra. Marcia Regina Martelozo Cassitas Hino UP PR
Prof. Dr. Márcio Moutinho Abdalla UFF RJ
Prof. Dr. Marco Antonio Pinheiro da Silveira USCS SP
Prof. Dr. Marco Antônio Silva UniAnhanguera SP
Prof. Dr. Marco Aurélio Carino Bouzada UNESA RJ
Prof. Dr. Marcos Felipe Falcão Sobral UFRPE PE
Profa. Ms. Maria Audenora Rufino UFPB PB
Profa. Dra. Maria Campos Lage UPM SP
Profa. Dra. Maria de Fátima Arruda Souza UFTO TO
Profa. Ms. Maria do Carmo Teixeira Costa PROMOVE MG
Profa. Dra. Maria Fernanda Macedo Rios Cavalcanti PUC-Campinas SP
Profa. Dra. Maria José Carvalho de Souza Domingues FURB SC
Profa. Dra. Maria Luisa Mendes Teixeira UPM SP
Profa. Dra. Mariane Lemos Lourenço UFPR PR
Profa. Dra. Marlene Catarina de Oliveira Lopes Melo Unihorizontes MG
Profa. Dra. Marlusa de Sevilha Gosling UFMG BH
Prof. Dr. Mauricio Henrique Benedetti UPM SP
Profa. Dra. Milka Alves Correia Barbosa UFAL AL
Profa. Ms. Míriam de Castro Possas UEMG MG
Prof. Dr. Murilo Alvarenga Oliveira UFF RJ
Profa. Dra. Natasha Giarola Fragoso de Oliveira UFSC SC
Profa. Ms. Nathália Rigui Trindade UFSM RS
Prof. Dr. Nério Amboni UDESC SC
Profa. Ms. Nila Patrícia Freire Pequeno UFRN RN
Prof. Dr. Norman de Paula Arruda Filho ISAE PR
Profa. Dra. Paola Schmitt Figueiró FEEVALE RS
Profa. Ms. Patricia Bock Bandeira PUC RS
Prof. Dr. Paulo Henrique Muller Prado UFPR PR
Prof. Dr. Paulo Henrique Trentin FEI SP
Prof. Ms. Paulo Roberto Munhoz FURG RS
Prof. Ms. Paulo Roberto Vieira de Oliveira UNIVALI SC
Prof. Dr. Pedro Marcos Roma de Castro CAPES DF
Prof. Dr. Pelayo Munhoz Olea UCS RS
Profa. Ms. Priscila Keller Pires UDESC SC
Prof. Dr. Rafael Alcadipani da Silveira FGV/EAESP SP
Prof. Dr. Rafael Borim de Souza UEL PR
Profa. Dra. Renata Céli Moreira da Silva Paula UFF RJ
Profa. Dra. Roberta Dias Campos UFRJ RJ
Prof. Dr. Roberto Borges Kerr UPM SP
Prof. Dr. Roberto Patrus PUC MG
Prof. Dr. Roberto Portes Ribeiro UFSM RS
Prof. Ms. Rodrigo Vinícius Sartori UP PR
Prof. Dr. Rogerio Scabim Morano UNIFESP SP
Prof. Dr. Rogerio Scabim Morano UNIFESP SP
Profa. Dra. Rosalia Aldraci Barbosa Lavarda UFSC SC
Prof. Dr. Rosivaldo de Lima Lucena UFPB PB
Prof. Dr. Sady Mazzioni Unochapecó SC
Prof. Dr. Sandro Vieira Soares UNISUL SC
Prof. Dr. Sergio Hage Fialho UNIFACS BA
Prof. Dr. Sidnei Vieira Marinho UNIVALI SC
Profa. Dra. Simone Alves Pacheco de Campos UFSM RS
Profa. Dra. Simone Ghisi Feuerschütte UDESC SC
Profa. Dra. Suzete Antonieta Lizote UNIVALI SC
Profa. Dra. Tania Nunes da Silva UFRGS RS
Prof. Dr. Thales Batista de Lima UFPB PB
Prof. Dr. Thiago de Melo Teixeira da Costa UFV MG
Prof. Dr. Valdir Machado Valadão Júnior UFU MG
Profa. Dra. Vânia Maria Jorge Nassif Uninove SP
Profa. Dra. Verônica Macário UFCG PB
Profa. Ms. Viviane Pisano FEI SP
Prof. Dr. Washington José de Sousa UFRN RN
Profa. Dra. Yasmine Santos Mansur PUC MG

Histórico do periódico

Em 2000, por iniciativa dos líderes da Associação Nacional dos Cursos de Graduação em Administração (ANGRAD), a revista foi criada com o nome Revista ANGRAD (ISSN 1518-5532). Dez anos mais tarde (2010), buscando comunicar com mais clareza o foco do periódico em questões que envolvem o ensino e a pesquisa em Administração, a revista passou a se chamar Administração: Ensino e Pesquisa (RAEP).

Editores que atuaram na revista:

  • Antônio de Araujo Freitas Junior (FGV-EBAPE) – Julho de 2000 a Dezembro de 2003.
  • Maria da Graça Pitiá Barreto (UFBA) – Janeiro de 2004 a Dezembro de 2008.
  • Eliane Pereira Zamith Brito (FGV-EAESP) – Janeiro de 2009 a Setembro de 2011.
  • Manolita Correia Lima (ESPM) – Outubro de 2011 a Maio de 2016.
  • Claudia de Salles Stadtlober (UNISINOS) - Junho de 2016 a Dezembro de 2017